quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Intel anuncia novo projeto de cloud computing




Durante um jantar com a imprensa no dia 27, a Intel apresentou sua visão para o desenvolvimento da tecnologia do cloud computing para os próximos 5 anos. Segundo a empresa, em 2009 circularam 150 exabytes de dados na internet, e vão circular aproximadamente 175 exabytes até o final deste ano. As expectativas são de que em 2015 chegaremos a 1000 exabytes. A empresa propõe uma mudança de paradigma para suportar este crescimento, substituindo o modelo atual, onde servidores são somente ampliados para comportar o aumento de demanda.
No modelo atual seriam gastos 2 trilhões em infraestrutura e operações até 2015, para acompanhar o crescimento do demanda de transmissão de dados, já que em cinco anos teremos mais de um bilhão de usuários trafegando dados na rede da internet, utilizando aproximadamente 15 bilhões de dispositivos como smartphones, tablets, etc. a menos que haja uma simplificação radical na infraestrutura e no gerenciamento dos ecossistemas virtuais.
Para solucionar este problema, a Intel em cooperação com outras 19 empresas criaram o projeto “Open DataCenter Alliance”, com o objetivo de desenvolver um serviço de cloud computing padronizado e aberto, melhorando o desempenho dos servidores através de processos mais inteligentes. “Muitas das soluções que existem hoje são proprietárias, e nossos clientes querem evitar que suas empresas fiquem presas a uma companhia ou a uma solução”, conta Frank Johnson, responsável por vendas no mercado corporativo da Intel nas Américas. Com padrões abertos, as empresas podem mover suas informações de um servidor privado para um servidor público com maior facilidade.
Outro elemento básico da plataforma em desenvolvimento é a capacidade de adaptação. Os clientes recebem os dados de acordo com seu dispositivo e a banda. “Dependendo do tipo de dispositivo utilizado, o usuário recebe exatamente a quantidade de dados que pode receber”, explica Johnson. Assim serviços mais personalizados possibilitam que, por exemplo, uma pessoa assista um vídeo utilizando o máximo de qualidade que seu dispositivo comporta.


Este novo paradigma tecnológico pode influenciar também nos negócios: “Com o crescimento de 6 para 9 milhões de pequenas e médias empresas, o cloud pode ajudar a criar novos modelos de negócio”, prevê Caio Tietê, diretor de marketing da Intel no Brasil. Para que esta oportunidades surjam no país é preciso resolver um gargalo estrutural das redes. “Uma das barreiras de aplicação do cloud é a velocidade da chamada 'banda larga' no Brasil, que está aquém do do considerado ideal para uso com clouding”. Uma conexão rápida e constante é indispensável para o funcionamento do computação em nuvem, caso contrário a empresa sofreria com um “vazio” de informações.

Nenhum comentário: