sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Lenovo m90z, o tudo-em-um corporativo



Já pensou chegar ao escritório e se deparar com os funcionários tocando as telas de seus micros tudo-em-um, deixando o mouse de lado em tarefas corriqueiras? Essa é uma das propostas da Lenovo com o ThinkCentre m90z, um desktop all-in-one com tela full HD de 23 polegadas sensível ao toque, Core i5 de 3,2 GHz e 2 GB de memória. O disco é de 320 GB. O modelo enviado ao INFOlab custa 3.399 reais. O m90z, que oferece outras opções de configuração, tem carcaça com 41% de material reciclável (o equivalente 65 garrafas plásticas de 2 litros). Outro destaque é a possibilidade de remover a tampa e outros componentes sem usar ferramentas, o que facilita upgrades.

>> Veja o m90z em ação na TV INFO.

O m90z não é nada bonito. Seu visual é bastante simples, com material preto fosco e aspecto “quadradão”. Mas, por trás da aparência, a tela sensível com tecnologia por infravermelho responde muito bem. A resolução, de 1.920 por 1.080 pixels, também impressiona e é garantida por um chipset Intel GMA HD, com 128 MB de memória dedicada. Um recurso interessante do ThinkCentre é o SimpleTap, um aplicativo que era um painel com ícones grandes, bem no estilo tablet.

Além de ícones para ajustar volume, ativar a câmera embutida de 2 MP ou o modo hibernar, é possível criar seus próprios botões, sejam eles atalhos para aplicativos ou para sites. O usuário pode escolher cores, posição e a imagem que será utilizada no botão. Um detalhe ruim é não poder trocar as imagens de atalhos para páginas da web, pois o ícone do site (favicon) é utilizado automaticamente.

Na parte frontal há um menu de ajustes, também sensível ao toque, que permite o controle do Bluetooth, WiFi, áudio e configurações da tela, como brilho, contraste, cores etc. Nos testes no INFOlab o painel mostrou dois grandes problemas: um deles foi ocultar a iluminação das teclas de controle depois de um tempo determinado, causando toques acidentais para reativá-las. Outro foi a sensibilidade alta. Qualquer coisa que toque a tela pode ativar as configurações e causar transtornos, como um fio de fones de ouvido.



Apesar de o chip GMA HD aguentar o tranco, a capacidade gráfica do desktop deixa a desejar. Concorrentes como o Dell Studio One, iMac e o HPTouchSmart possuem melhores controladores gráficos, permitindo rodar aplicativos pesados como Photoshop, Indesign e AutoCAD com mais tranquilidade.

Para as tarefas corporativas, que são o foco da Lenovo, o m90z tem uma configuração eficiente. O processador Core i5 650 de 3,2 GHz garante agilidade, sendo melhor que alguns modelos Core i7 de entrada. Pelo preço, o HD de 320 GB com interface SATA II deixou a desejar. Outro ponto que ficou abaixo do esperado foi a memória RAM que, mesmo sendo de 1.333 MHz, ficou abaixo do esperado. O Windows 7 também poderia vir em 64 bits, pois ele é mais veloz mesmo com 2 GB de memória RAM.

Para as praticidades do dia a dia, o ThinkCentre oferece Bluetooth, WiFi, porta Gigabit Ethernet, seis portas USB 2.0 (duas laterais e quatro traseiras), saída Display Port e D-Sub (VGA), além de gravador de DVD, leitor de cartões SD e portas P2 para fones e microfone. A versão testada no INFOlab acompanha um teclado e mouse sem fio. Um problema é a configuração das teclas no padrão inglês internacional, que dá dores de cabeça no Windows 7.

Nenhum comentário: