sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Intel Editor's Day 2010 apresenta números e tendências


Começou hoje o Intel Editor's Day 2010, evento realizado pela Intel Brasil que em sua 11ª edição retorna a Campos de Jordão, cidade onde foi realizada a primeira edição do evento.
O evento reúne editores convidados pela Intel e tem como objetivo apresentar as iniciativas da empresa para o mercado nacional e perspectivas para o futuro, com destaque para o aguardado Sandy Bridge, codinome da nova arquitetura de processadores que a Intel irá anunciar oficialmente em Las Vegas, no mês de janeiro durante a CES 2011.
Para falar de Sandy Bridge a Intel trouxe ao evento Mahmoud Khorashadi, que fará um "tour" pela arquitetura e trará maiores novidades sobre os novos processadores de 32nm da Intel, que até onde já se sabe, deixam de ser apenas processadores comuns e se tornam APUs (Accelerated Processing Unit), que integra no mesmo die a CPU e a GPU, levando a Intel para a era da computação paralela.
 Cassio Tietê, Diretor de Marketing da Intel Brasil, durante sua apresentação no Editor's Day 2010
Élber Mazaro, Diretor de Marketing da Intel para a América Latina iniciou o evento com uma pincelada geral sobre as ações da empresa na região, destacando que em 2009 o faturamento global da empresa foi de 35 bilhões de dólares e o ano de 2010 caminha para superar essa marca, apoiada sobretudo no ótimo desempenho da empresa no 3 quarter, melhor trimestre fiscal na história da Intel, levando a empresa a fechar o seu trigésimo quinto ano consecutivo gerando lucro aos seus investidores.
Ainda segundo o executivo, a Intel investe muito na qualificação dos seus funcionários, seu principal ativo, atualmente na casa de 80.000 colaboradores - 4.000 destes na América Latina -, com um total 43.000 técnicos, 12.000 mestres em ciência, 4.000 PhDs e outros 4.000 funcionários possuem MBA.
Dando sequência ao primeiro dia de evento, Cássio Tietê, Diretor de Marketing da Intel Brasil, salientou a facilidade que a classe média possui hoje para adquirir um computador pessoal, trabalhando três vezes menos para comprar um computador se comparado a 10 anos atrás, num total de 6 semanas de trabalho para poder adquirir um computador.
"Os usuários brasileiros estão se tornando mais sofisticados e aprendendo a valorizar o desempenho", embasado nesse discurso, Cássio destacou que além do crescimento da venda de computadores, a configuração se tornou mais robusta, com cerca de 52% dos computadores vendidos utilizarem o processador da família Core, proporcionando maior desempenho e satisfação geral do usuário com o sistema adquirido.
Segundo pesquisas desenvolvidas pela empresa, cerca de 38% dos brasileiros pretendem comprar um computador em 2011, com destaque para a região Sul, onde 44% das pessoas entrevistadas mostraram interesse em adquirir uma nova máquina. A mesma pesquisa mostrou que existe uma grande tendência na individualização do uso do computador, com destaque para o Distrito federal, onde 71% dos usuários já fazem uso do computador de forma individual.
 Cássio apresenta pesquisa que prevê o crescimento do mercado brasileiro
Para finalizar sua apresentação, Cássio destacou os desafios para melhorar o desenvolvimento do mercado brasileiro, entre esses desafios estão a dificuldade de se fazer negócios no país, com alta carga tributária, burocracia e complexidade, a falta de infraestrutura adequada, com necessidade de melhores portos, aeroportos e banda larga, a qualidade da educação, com baixos investimentos e portanto pouca evolução no setor, o déficit social, que tem melhorado, porém o Brasil ainda é o sétimo país mais desigual do mundo, e por fim, a corrupção, que na opinião da Intel tem sido um grande empecilho, de uma forma geral, para a evolução do país.

Nenhum comentário: