sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

As principais ameaças virtuais de 2010, segundo o ESET

Empresa responsável pelo NOD32 divulga relatório
Fonte da imagem: reprodução do site ESET
Redes zumbis (botnet), ataques direcionados e regionais na América Latina foram os piores problemas para os internautas. A informação foi revelada pelos técnicos da ESET, que costumeiramente criam relatórios para revelar estatísticas a respeito das pragas virtuais.

Ao revelar as informações, a ESET divulgou alguns dos principais casos que aconteceram em 2010. Um deles foi a “Operação Aurora”, que aconteceu no início do ano. Este ataque direcionado tinha como objetivo principal o ataque a grandes empresas de tecnologia. A tática consistia no uso de uma falha no Internet Explorer e no envio de emails com conteúdos falsos para executivos das empresas.

Um botnet que preocupou as empresas de segurança foi o Zeus. Já utilizado anteriormente, este sistema busca obter informações bancárias. Além disso, ele já foi relacionado com outros códigos que visam prejudicar os computadores. No fim de 2010 o criador do sistema Zeus relatou o fim da rede zumbi para uma fusão com o SpyEye, um sistema que também busca credenciais bancárias.

Com a onda do Twitter, as redes zumbis também ganharam destaque dentre os computadores domésticos. Em duas situações, a ESET relatou a existência de botnets que eram administrados com o uso de malwares, os quais eram controlados através do Twitter.

Curiosidades para os brasileiros e usuários do Mac OS

Os ataques virtuais no sul da América também foram elevados em 2010. A ESET detectou que no Brasil o número de cavalos de troia bancários cresceu muito. Além disso, nosso país ficou entre as dez nações que mais enviaram spams — a Argentina também se encaixa no top 10.

Os relatórios da ESET ainda informam que as ameaças para o sistema operacional da Apple cresceram. O Mac OS sofreu alguns incidentes diretamente ligados a cavalos de troia, os quais também podem se propagar para os sistemas Linux.

Nenhum comentário: