quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Japão propôs uma Copa Sci-Fi para 2022


Na disputa para sediar a Copa do Mundo de Futbebol de 2022, vencida pelo Qatar, o Japão usou a tecnologia como um de seus trunfos para ser a escolhida. Algumas das tecnologias apresentadas ainda não estão totalmente desenvolvidas, e outras soam como equipamentos da equipe do Star Trek, com direito a holografia e tradutores simultâneos.
Dentre elas está o uso de 200 câmeras de alta definição e 70 microfones omnidirecionais, posicionados ao longo do campo, para uma visão de todos os ângulos da partida e ser possível ouvir todos os detalhes. A transmisão seria capaz de recriar a partida em 3D, sendo possível ver a partida de qualquer ângulo, inclusive de dentro do campo, imitando o ponto de vista de cada jogador ao longo da jogada. Outro recurso que seria utilizado é a exibição da partida em outros estádios, através de holografias dos jogadores no gramado.
Os espectadores também poderiam visualizar informações dos jogadores em campo, através de um cartão com realidade aumentada. Outra tecnologia "futurista" prometida para a torcida é a distribuição de tradutores automáticos, o "Real-time Automatic Translation System", que iria possibilitar a comunicação entre pessoas de mais de 50 países, sem as "barreiras da língua". Tudo dentro do estilo "vamos fazer o mundo se unir durante a copa" que permeia a proposta do Japão para  a copa de 2022. Os nipônicos disputaram com Austrália, Qatar, Coréia do Sul e Estados Unidos chance de sediar a Copa.
 

Nenhum comentário: