sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Um relógio-celular útil?



É provável que a quantidade de relógios-celulares já lançados esteja na proporção inversa à quantidade de aparelhos que emplacaram no mercado. A Fossil, responsável por fabricar muitos relógios de pulso em conjunto com outras marcas,  resolveu tirar o invento de Santos Dumont do ostracismo de uma maneira diferente. Em vez de transferir o celular todo para o pulso, mandou apenas o essencial.
O relógio da Fossil, ainda sem nome, tem uma tela de LCD que exibe em apenas uma cor as principais informações do Android ou do BlackBerry. Ele se conecta ao smartphone por Bluetooth e coleta atualizações na caixa de e-mail, no Twitter, no Facebook e as chamadas.
Data, bateria e previsão do tempo também aparecem no aparelho — junto do horário, veja só, escondidinho num canto superior do display. Ele ainda é um protótipo mas, segundo o vice-presidente da fabricante, Bill Geiser, já tem preço estimado por volta de 200 dólares. Com etiqueta prevista, seu lançamento não deve demorar muito.

Nenhum comentário: