segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

CPqD desenvolve sistema óptico para banda larga


CPqD desenvolve sistema óptico para banda larga
SÃO PAULO - Por meio de recursos do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel), o Ministério das Comunicações está apoiando a Fundação CPqD no desenvolvimento de uma nova geração de sistemas de comunicação óptica.
O projeto, batizado de “100 GETH” (Gigabit Ethernet), pretende chegar a taxas de transmissão de 100 gigabits por segundo por comprimento de onda. Isso significa uma velocidade bastante superior à praticada atualmente no mercado, o que permitirá impulsionar o acesso à internet banda larga.

O foco principal da pesquisa é a construção dos grandes backbones, - infraestrutura principal pela qual o tráfego de dados e voz é transmitido por toda a extensão da rede de uma operadora - atendendo a demanda crescente por quantidade de dados.
O aumento na velocidade é possível porque os sistemas ópticos desenvolvidos nos laboratórios do CPqD tem como base a tecnologia WDM (Wavelengh Division Multiplexing).
Essa tecnologia permite compartilhar a mesma fibra óptica para transmitir sinais de diferentes comprimentos de onda, aumentando a capacidade de transferência da informação.
Com esse compartilhamento na mesma fibra, será possível alcançar taxas de até 8 terabits por segundo, por exemplo. Em testes recentes, a Fundação CPqD já conseguiu atingir a marca de 3,2 terabits por segundo por fibra óptica.
De acordo com o CPqD, os primeiros protótipos de equipamentos com essa tecnologia devem estar disponíveis entre o fim de 2011 e o início de 2012. A previsão é que, a partir de 2012, a nova geração de sistemas ópticos esteja pronta para ser comercializada.
Segundo o diretor do Departamento de Indústria, Ciência e Tecnologia do Ministério das Comunicações, Laerte Davi Cleto, trata-se do maior projeto do Funttel em termos de destinação de recursos:  R$ 90 milhões em quatro anos. A pesquisa começou a ser desenvolvida no ano passado.

Nenhum comentário: