quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

GTX 580 é a campeã do tessellation

 
 

nossa avaliação

prós Desempenho alto e temperatura baixa, o que dá boa margem para overclock
 
contras Preço elevado do modelo base e comprimento que prejudica instalação em diversos gabinetes
 
conclusão Excelente placa, mas o preço elevado torna sua adoção difícil
 
 
 
Se compararmos as GPUs (puras e simples, sem placas rodando em paralelo) a carros, a GeForce GTX 580, da Nvidia, seria equivalente a um F1. Esse, que é o motor mais potente para jogadores de PC, traz 1,5 GB de memória GDDR5, 512 processadores de stream e a maior compatibilidade com tessellation (tesselação) existente no mercado. No entanto, todo esse poder de fogo esvazia qualquer bolso. Quem se interessar pode levar a GTX 580 para casa pela bagatela de 1.699 reais, isso se ela couber em seu gabinete, pois ela é uma das placas de vídeo mais compridas.

Um dos pontos fortes dessa placa é sua configuração parruda. Ela trabalha com 512 processadores de stream, o clock da GPU crava 772 MHz e os 1,5 GB de memória GDDR5 trabalham em 384 bits. Para completar o quadro, a tecnologia Fermi, que entre outras coisas, é a primeira a apresentar uma verdadeira hierarquia de cache. Isso, segundo a Nvidia, melhora o compartilhamento de dados da GPU por L2 cache unificada e também permite a correção de erros sem interrupção. Que, no bom e velho português significa: mais velocidade e menos engasgo nos games.

Para testar a GTX 580 utilizamos o mesmo método aplicado nos testes da GTX 470 e Radeon HD 6850 e 6970. Foram montados dois ambientes de teste, uma plataforma Intel (placa-mãe Intel DP55WB e chip Core i7 875K de 2,93 GHz) e outra AMD (placa-mãe MSI 890FXA-GD70 e AMD Phenom II X6 1100 T Black Edition, de 3,3 GHz). Ao PC foram adicionados 4 GB de memória DDR3 de 1.333 MHz, HD Caviar Green de 1TB, da Western Digital e uma fonte modular de 1000 watts da Cooler Master.

Como o desejo dos jogadores é rodar o que há de mais moderno, nossa prova de fogo inclui os benchmarks 3DMark Vantage, 3DMark 2011, CineBench 11.5, Heaven Benchmark v2.1, Crysis, Metro 2033 e Alien Vs. Predator.

Testes de fogo



Na prova de fogo do INFOlab, que inclui os pesados Metro 2033 e 3DMark 2011, que usam e abusam do tessellation, a GTX 580 reina. Seu desempenho é muito superior ao de sua irmã menos potente, a GTX 470, e de sua concorrente Radeon HD 6870. A diferença é sentida principalmente no Metro 2033 e Alien VS. Predator, que rodam no DirectX 11.

No entanto, no Maxon CineBench 11.5, o desempenho da Radeon HD 6870 é superior. Pois, comparando velocidade pura de processamento, os 1120 processadores de stream, com clock de GPU a 900 MHz da 6870 deixam a GTX 580 com inveja. Essa discrepância faria muita diferença na conversão de arquivos de vídeo, renderização de imagens e cálculo de luz em imagens 3D, uso comum para arquitetos e designers, com AutoCAD ou Maya.


Alien Vs. Predator (em FPS)1.920 x 1.080 / Confirguração máxima
Barras maiores indicam melhor desempenho

Crysis Benchmark (em FPS)1.680 x 1.050 / Ultra High
Barras maiores indicam melhor desempenho


Metro 2033 (em FPS)1.920 x 1.080 / Confirguração máxima
Barras maiores indicam melhor desempenho



Benchmarks



3DMark Vantage (em pontos)
Barras maiores indicam melhor desempenho de vídeo

3DMark 2011 (em pontos)Barras maiores indicam melhor desempenho de vídeo


Maxon CineBench (em pontos)Barras maiores indicam melhor desempenho de vídeo



Heaven Benchmark 2.1 (FPS)Barras maiores indicam melhor desempenho de vídeo



Conclusões



Por contar não só com 1, mas com 16 núcleos em paralelo para tessellation, o desempenho da GTX 580 nos games mais modernos é incomparável. No entanto, seu preço elevado torna sua aquisição impensável em alguns casos. Um exemplo é comprar modelos inferiores e utilizá-los em paralelo (SLI para a Nvidia ou Crossfire para a ATI).
Outro problema, que pode agravar a questão monetária, é a necessidade de uma fonte com 1000 W, que possui alto consumo e também fura os bolsos. Para quem o foco é design, não os games, a GTX 580 também perde espaço.

Mas, se você deseja rodar os games mais modernos no talo e não tem problemas para investir uma boa grana, a placa da Nvidia é a top de mercado, perdendo somente para as junções megalomaníacas de duas ou mais GPUs com overclock, que somam preços estratosféricos, como a Ares, que amontoa duas Radeon HD 5870 e custa mais de 4 mil reais.


Nenhum comentário: