terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Na mão: Google TV põe a web na sala



O Google TV chegou ao Brasil. Calma, ainda não foi como queríamos, já que ele tem restrição de funcionamento no Brasil e só roda completamente nos Estados Unidos. Mas, para dar conta de ver todos os detalhes, demos um jeito de fazer o teste sem a restrição do país.


O browser é o recurso mais bacana e que diferencia o Google TV de todos os aplicativos vistos nas TVs que acessam serviços na web. Ele funciona como o Chrome, com esquema de abas e layout similar. É possível acessar o e-mail, jogar games em flash e ouvir músicas. Não é possível, porém, instalar extensões ou baixar arquivos. Especula-se que nas próximas versões do Google TV tais recursos estejam habilitados.



Modelos da LG, da Samsung, da Sony, da Panasonic e da Philips conseguem acessar a rede de forma nativa. Outros aparelhos também podem fazer isso, como set-top boxes e players de Blu-ray. É este o aparelho que está no INFOlab, o modelo NSZ-GT1, da Sony, que tem o Google TV integrado. A grande sacada do sistema não é levar o acesso à web ao televisor, mas sim colocar este acesso no televisor de forma quase que sem restrições.



Os suportes a Flash e a HTML5 são dois pontos que mostram como você pode navegar bem na internet usando o Google TV. A brincadeira começa com uma tela inicial simples em que aparece um menu com vários atalhos a sites especialmente preparados para o sistema. Entre eles, páginas do Pandora, do Netflix e do Qrocity, que adiciona informações aos filmes em Blu-ray reproduzidos.

O acesso ao Pandora foi feito via VPN. Para entrar na web, o Blu-ray player precisou se conectar a um modem que tem acesso a uma VPN que fornece um IP dos Estados Unidos. Assim foi possível acessar boa parte do conteúdo do Google TV. Sem esse “túnel” ficam disponíveis o navegador e alguns aplicativos, como o Picasa.



O uso do Google TV é feito por seu controle remoto, que tem um formato bom e prático. Além das opções comuns de televisores, ele vem com botões dedicados e com um teclado Qwerty. Os controles mudam de acordo com o fabricante, mas algumas funções valem para todos. O controle do player NSZ-GT1 é ergonômico e pequeno. O cursor é movido pelas setas direcionais ou por um sensor óptico, que tem sensibilidade razoável. O player tem entrada para discos Blu-ray, quatro portas USB, duas HDMI e interface de rede.



O modelo custa 399 dólares nos Estados Unidos. Aqui no Brasil ele não está à venda. O Google TV também não chegou por aqui oficialmente. A empresa ainda não tem previsão de colocar o serviço aqui, mas, se a tendência de juntar internet e TV continuar, podemos esperar bons horizontes para navegar no sofá de casa.

Nenhum comentário: