segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Por saúde, Jobs pede nova licença da Apple

Por saúde, Jobs pede nova licença da Apple
Steve Jobs: saúde frágil do gênio da Apple


SÃO PAULO - O CEO da Apple, Steve Jobs, enviou hoje um comunicado aos funcionários da companhia dizendo que vai se afastar do trabalho por motivos de saúde.


Em breve e-mail, Jobs diz que pediu autorização ao conselho de administração da Apple para afastar-se temporariamente de suas funções. No período, o diretor de vendas Tim Cook assumirá suas funções na empresa. Cook é o mesmo executivo que substituiu Jobs durante sua última licença médica, em 2008

Mesmo afastado do dia a dia, Jobs afirmou que participará de todas as decisões estratégicas da empresa, mas alegou precisar de um tempo livre para "colocar seu foco" em sua saúde.


Esta não é a primeira vez que o cofundador da Apple pede afastamento médico. No final de 2008, Jobs pediu uma licença de seis meses para cuidar de "problemas hormonais".  Ao retornar, Jobs revelou ter sofrido um transplante de fígado no período de sua licença.


A saúde de Jobs é motivo de preocupação desde 2004, quando o executivo recebeu o diagnóstico de câncer no pâncreas. Embora tumores neste órgão sejam de difícil cura, o tipo específico de doença que vitimou Jobs tinha tratamento e o CEO da Apple recuperou-se.


Em 2006, a saúde do principal executivo da Apple voltou a ser tema de especulação após ele aparecer excessivamente magro durante seu keynote na abertura de um evento para desenvolvedores. Na ocasião, a Apple negou que Jobs tivesse problemas sérios de saúde e atribuiu a magreza de Jobs a problemas hormonais pontuais.


Em 2008, após Jobs cancelar várias aparições públicas, a Bloomberg equivocadamente publicou um obituário de Jobs. No mesmo ano, a CNN cometeu um erro similar de informação e divulgou que Jobs estava internado após sofrer um ataque no coração.


Os erros noticiosos viraram piada até para o próprio Jobs que, durante uma de suas apresentações, exibiu os números de sua pressão sanguínea e a frase do escritor americano Mark Twain, “os relatos sobre minha morte são grandemente exagerados”.


No final de 2008, no entanto, Steve Jobs anunciou seu afastamento da direção da companhia por problemas médicos.  Na ocasião, os papéis da Apple recuaram mais de 10% em valor na bolsa eletrônica Nasdaq. Em abril de 2009, Jobs voltou a trabalhar e revelou ter sido submetido a um transplante de fígado no período de sua licença.


A pouca transparência em torno do real estado de saúde de Jobs e a falta de confiança do mercado de que Apple tenha um plano de sucessão confiável colocam os papéis da companhia em risco sempre que seu principal executivo parece adoecer.


Tim Cook, que substitui Jobs agora, também ocupou sua função na licença médica de 2008. Cook é descrito por pessoas próximas como um executivo extremamente competente e um técnico com grande visão de mercado, porém sem o mesmo carisma e capacidade de inovação de Jobs.

Trajetória - Co-fundador da Apple ao lado de Steve Wozniak nos anos 70, Steve Jobs foi forçado a deixar a empresa que criou em 1985, após o conselho de administração da companhia considerar que seu estilo personalista e eventualmente arrogante era o responsável pelas dificuldades que a companhia enfrentava no mercado.

Fora da Apple, Jobs fundou a NeXT Computer e, em 86, comprou a Pixar da Lucasfilm. Em 97, quando a Apple vivia grave crise financeira e ameaçava ir à falência, Steve Jobs foi contratado como consultor. No plano de recuperação da Apple, estava atrair a Microsoft para ser sua parceira e acionista investidora.


Com capital da Microsoft e sob orientação de Jobs, a Apple retomou a trajetória ascendente de vendas. A liderança de Steve Jobs é considerada fundamental para a recuperação da companhia, bem como para o desenvolvimento de gadgets de grande popularidade, como o iPhone em 2007 e o iPad em 2010.


Há grande desconfiança no mercado sobre a capacidade da Apple de manter-se inovadora e competitiva sem a liderança de Jobs.

Em seu e-mail, Jobs diz confiar plenamente em seus substitutos e pede discrição para seus problemas de saúde. "Eu amo muito a Apple e espero estar de volta logo que eu puder. Entretanto, minha família e eu agradeceríamos muito pelo respeito à nossa privacidade”, anotou Jobs.

Nenhum comentário: