quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Tecnologia apresentada na CES permite transmissão de conteúdo HD sem necessidade de cabos

Para além dos filmes, tecnologia permite transmissão de jogos e outros conteúdos
Para além dos filmes, tecnologia permite transmissão de jogos e outros conteúdos

Imagine conectar seu PC ou tablet à sua TV para transmitir conteúdo HD usando entradas HDMI sem precisar de fios. Essa foi a tecnologia apresentada pela empresa Amimom na noite de ontem na CES 2011.

A empresa é uma das maiores defensoras do formato WHDI, ou Interface Digital Sem Fio Para o Lar, na sigla em inglês. Você deve lembrar que a tendência do futuro – desde muitos anos no passado – é reduzir ao mínimo a quantidade de fios na nossa casa, mas a cada nova tecnologia, os fabricantes parecem esquecer essa máxima e embutem novos fios e cabos para aumentar a selva por trás dos nossos equipamentos.


A ideia por trás do WHDI é simples: elimina-se o cabo da equação aparelho-HDMI-TV usando-se dois conectores – um na fonte transmissora (seu laptop ou tablet) e outro no receptor (seu aparelho de TV) para transmitir o sinal de um aparelho para o outro exatamente como acontece com o WiFi, no caso da internet ou com o Bluetooth para transmitir dados.


Isso não é exatamente uma novidade em si. Existem outras tecnologias que usam a mesma lógica como WiDi da Intel ou Wireless HD. A diferença do WHDI é que a tecnologia avançou tanto que, para além de transmitir filmes, é possível transmitir outros conteúdos interativos como jogos, por exemplo.


Na demonstração do produto, inclusive, foram testados vários aparelhos, incluindo uma câmera, um laptop e um media player, conectados na mesma TV. Um controle remoto fazia a transição de um aparelho para o outro. O único problema aqui, segundo o site Cnet, foi o tempo necessário para mudar de uma fonte para a outra: 10 segundos.


Seja como for é uma tecnologia promissora e, se adotada como padrão por fabricantes, poderemos ver TVs e outros equipamentos vindo com WHDI embutido.


Fonte: Cnet
Foto: Dong Ngo (Cnet)

Nenhum comentário: