quinta-feira, 24 de março de 2011

O Chrome OS não está morto (ainda)



O sistema operacional Chrome OS, do Google, deve ressurgir neste ano em netbooks com preço inferior a US$ 250 ou em tablets. Ou nos dois.

Surgiram rumores de que a Asus, em parceria com a Intel, prepara para junho um netbook ultrabarato (entre US$ 200 e US$ 250), que pode vir com o Chrome OS ou com Android Honeycomb. A notícia saiu no site Digitimes, que obteve a informação por meio de uma fonte ligada a fabricantes de componentes. Isso levaria o produto da Asus a evitar uma competição com os tablets, cujo preço é geralmente superior a US$ 400. Ainda não se sabe qual seria a configuração desses aparelhos.

Outra suspeita relacionada ao Chrome OS surgiu nesta semana. A versão 12 do Google Chrome ganhou um recurso experimental bastante sugestivo. A Nova Aba, que traz a relação dos aplicativos web instalados e a lista dos sites mais visitados, foi reformulada. A interface ficou bastante parecida com a de um tablet, com a possibilidade de desinstalar aplicativos arrastando-os para uma lixeira. Também dá para organizá-los em telas separadas, que seriam roladas com os dedos. A nova versão pode ser ativada digitando-se about:flags na barra de endereços do Chromium 12 ou do Chrome Canary Build 12.

Pode surgir um tablet barato com o Chrome OS, o que seria uma forma de fazer o sistema decolar. Os preços elevados do iPad 2 e dos concorrentes com Android Honeycomb, que vão chegar às lojas em breve, ainda são uma barreira que o Chrome OS conseguiria quebrar. Mas, se o Google insistir nos netbooks, pode se dar mal – as vendas têm despencado, em parte justamente por culpa dos tablets. Caso a iniciativa dê certo, quem tem mais a perder? O Windows, claro.

Comentário Pessoal:
 Creio que a ideia do Google é apenas fazer testes de aprovação de usuários, por enquanto de produtos acessíveis a todos, como vimos em outras postagens o Chrome OS é um sistema baseado em nuvens, então é um sistema que não consome tantos dados do HD, o netbook seria indicado justamente por ser um periférico com poucos recursos de hardware.

Vocês aprovam ou não?
Deixe seu comentário.

Nenhum comentário: