Ciberataque pode provocar apagão no Brasil


SÃO PAULO — A McAfee, empresa de segurança digital pertencente à Intel, e o instituto Center for Strategic and International Studies (CSIS) divulgaram, nesta semana, um estudo mundial sobre a segurança em empresas de energia, petróleo, gás e água. O relatório aponta um crescimento dos ataques digitais às empresas de energia. Além disso, diz que o Brasil está atrasado na adoção de medidas de proteção.
Relatórios de empresas de segurança, como esse, tendem a dar destaque aos riscos e vulnerabilidades. É uma maneira de tentar convencer os potenciais clientes de que eles precisam de serviços especializados nessa área. Por isso, devem ser lidos com atitude crítica. Mesmo assim, convém não desprezar os alertas que eles trazem.
A pesquisa da McAfee, realizada em 14 países, contou com a participação de 200 executivos, a maioria de empresas de energia elétrica. 40% dos entrevistados afirmam que houve aumento na vulnerabilidade do setor. Cerca de 30% acreditam que sua empresa está desprotegida diante de um possível ataque. E mais de 40% esperam ameaças sérias no próximo ano, diz o relatório.
Stuxnet
Há outros números que chamam atenção no texto. Ele relata que 85% das empresas consultadas sofreram infiltrações em suas redes de computadores; 80% enfrentaram ataques de negação de serviço; 25% foram vítimas de extorsão; e 40% encontraram o vírus Stuxnet em seus computadores.
O Stuxnet é um programa destrutivo, criado para afetar sistemas de controle industrial da Siemens. Supõe-se que tenha sido desenvolvido por americanos e israelenses para sabotar o programa nuclear do Irã. Aparentemente, o Stuxnet conseguiu avariar centenas de centrífugas usadas pelos iranianos para enriquecer urânio.
A presença do Stuxnet nas empresas de energia mostra que um programa malicioso similar poderia penetrar nelas e causar estragos em seus sistemas de controle. Numa situação extrema, isso poderia até provocar um apagão. "Esses sistemas não foram projetados com a segurança cibernética em mente, e as empresas precisam implementar controles de rede mais fortes para reduzir a vulnerabilidade aos ataques”, diz Phyllis Schneck, vice-presidente de informações de ameaças da McAfee.
Brasil vulnerável
Entre os países abordados no relatório da McAffe, Brasil, França e México são citados como os mais atrasados na adoção de medidas de segurança. Já China, Japão e Itália estariam à frente nesse aspecto. O texto diz que China e Japão também são os países com os maiores índices de confiança na capacidade de as leis em vigor prevenirem ou desestimularem ataques.

0 comentários:

Apresentação!


Aproveite nosso conteúdo e informação. Possuímos um grande arsenal de vídeo-aulas administradas pelo nosso companheiro de equipe Danyel Willian, Assistente de TI, Bacharel em Sistema de Informação e certificação em ITIL FOUNDATION; e postagens para melhor prepará-lo para concursos que relacionem à área de TI.

Espero que gostem de nossas postagens e videoaulas, e que possam com nossas informações adquirir um grande desenvolvimento social e tecnológico nesta área tão requisitada atualmente no mercado de trabalho.

A Equipe Informática Inteligente agradece a preferência!


Tradutor

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Equipe Informática

Equipe Informática Inteligente

Proprietário e ADM Principal

Danyel Willian

Autora - Assessora de Comunicação Digital

Júlia Medici


Autor - Técnico e Professor em TI. Formação em Administração de Empresas

Felipe Aguiar

Autor - Engenheiro da Computação

Julius Cardoso


Outros Administradores

Danilo Alves

Flávio Santos





Mural de Recados

Seguidores

Arquivo do blog

Parceiros/Concursos

Parceiros Aleatórios