quarta-feira, 6 de abril de 2011

Transistores de grafeno podem se auto-resfriar

Pesquisadores da University of Illinois podem ter descoberto uma maneira de criar transistores de grafeno capazes de se auto-resfriar. Uma das maiores limitações dos atuais chips de silício estão relacionadas com a geração de calor que ocorre quando eles estão em funcionamento, o que leva à necessidade de fontes externas de refrigeração. Isto afeta o tamanho dos chips e sua eficiência. A nova técnica, usando grafeno, pode produzir chips menores e mais poderosos que requeiram pouca ou nenhuma refrigeração.
Os pesquisadores afirmam que folhas de grafeno de um único átomo de espessura podem ser usadas, um grande avanço para os projetistas. Os chips de silício geram calor resistivo como resultado da forma que os elétrons na corrente elétrica colidem com o material do transistor onde ele toca nas conexões de metal. Chips feitos com grafeno não sofreriam deste problema por causa de suas propriedades moleculares.

Usando a ponta de um microscópio atômico como sonda de temperatura, os pesquisadores descobriram que um transistor feito de grafeno não gera calor onde toca as conexões de metal. Na verdade, eles descobriram que a tendência do grafeno de se auto-resfriar era mais evidente do que qualquer aquecimento.
"Eletrônicos de grafeno estão ainda na sua infância; entretanto, nossas medidas e simulações projetam que os efeitos termoelétricos serão aprimorados conforme a tecnologia de transistores de grafeno e contatos evolua," disse o professor Eric Pop, um dos pesquisadores envolvidos nos testes.

Nenhum comentário: