quinta-feira, 7 de julho de 2011

Google+ levou sete anos para chegar


Lançado anos depois do Twitter e do Facebook, é fácil olhar para a Google como se estivesse tentando entrar no jogo mundial das redes sociais com o “teste” do Google+.
Mas olhe para trás e repare: a empresa está nesse jogo há anos, apesar de nunca ter conseguido reunir todas as partes em um lugar só.
Aqui está uma visão cronológica do caminho que a Google trilhou para chegar ao que imagina ser a próxima grande rede social - isso se a companhia conseguir convencer a maior parte dos usuários do Facebook de que seu Google+ é melhor.
2004 - Orkut: A Google já tinha uma rede social muito antes de sua mãe entrar no Facebook. O Orkut foi lançado há mais de sete anos para competir com o Friendster, e não fez muito barulho nos EUA e na maior parte do mundo, mas se tornou dominante em alguns países, mais notavelmente o Brasil. Comicamente, o site ainda está em versão Beta.
2006 - Gchat no Gmail: Parece algo pequeno agora, mas integrar o Gchat ao Gmail foi um dos primeiros passos da empresa para tornar um dos produtos que possui mais social.
2007 - OpenSocial: em vez de reinventar o círculo social, a Google tentou inicialmente cooptar redes como MySpace, LinkedIn e Friendster por meio de uma plataforma open source. Mas a iniciativa não deu certo, funcionando apenas com o Orkut. Rapidamente isso desapareceu e o Facebook cresceu.
2008 - FriendConect: Outra estratégia da Google baseou-se em um widget que permitia que desenvolvedores de sites adicionassem um “traço social” aos portais. O número de sites usando o serviço parece estar aumentando rapidamente: os dados mais recentes reportam 138 mil ao redor do mundo.
2008 - Lively: Resposta do gigante das buscas online ao Second Life, essa experiência social durou menos de seis meses, fechando as portais virtuais 3D em 31 de dezembro de 2008.
Fevereiro de 2009: Latitude: Adicionar um componente social, ao popular Google Maps pareceu uma maneira simples de competir com o FourSquare, embora hoje seja mais conhecida como ferramenta de perseguição para os obcecados por compartilhar os próprios movimentos. Apesar de não ter alcançado o FourSquare, seria uma surpresa se os recursos do Latitude não se tornassem um dos principais componentes do Google+.
Maio de 2009 - Google Wave: Se há alguma razão para o Google+ falhar é o Wave. Lançado para ser um aplicativo faz-tudo, o serviço deveria revolucionar a colaboração em tempo real enquanto incorporaria também rede social. Bem... Mais ou menos isso. Na verdade ele é um pouco difícil de descrever, e no fim das contas também é difícil de usar.
Agosto de 2009 - Recursos Sociais para o iGoogle: a empresa reprisou o conceito de widget usado no FriendConnect com pequenos jogos e aplicativos colaborativos que poderiam ser adicionados à página inicial do usuário do iGoogle.
Fevereiro de 2010 - Google Buzz: a resposta da empresa a serviços como Digg e à epidemia de compartilhamento de links no Facebook e Twitter nunca explodiu, mas pode ter uma segunda chance no Google+.
Fevereiro de 2010 - Aadvark: Esse site social de respostas tinha um pequeno grupo de seguidores antes do Quora. A Google comprou o serviço e o levou para o Google Labs, onde definhou - talvez esperando ser incluso no Google+.

Nenhum comentário: