São Paulo – A Sony bloqueou temporariamente a conta de 93 mil usuários após detectar uma nova tentativa de invasão em três de seus serviços online.

As plataformas Playstation Network (PSN), Sony Entertainment Network (SEN) e Sony Online Entertainment (SOE) tiveram na manhã desta quarta-feira uma grande quantidade de tentativas de acesso não autorizado, informou a Sony em comunicado.

Segundo a Sony, os crackers obtiveram os dados para acessar cerca de 60 mil contas da PSN e SEN e mais 33 mil contas da SOE, e, portanto, foram bloqueadas por precaução. A empresa afirmou que irá enviar e-mails a esses usuários para comunicá-los do problema e fornecendo instruções de como prosseguir.

A Sony afirmou que nenhum dado sensível, como informações de cartões de crédito, foram roubadas e somente uma pequena parcela dessas contas crackeadas é que registraram alguma movimentação antes de serem bloqueadas.

Este é o segundo grande ataque registrado contra a Sony neste ano. Em abril, a empresa sofreu diversas invasões em suas plataformas online, especialmente na rede PSN de onde os criminosos roubaram os dados pessoais e sigilosos de mais de 100 milhões de usuários.



São Paulo - O engenheiro do Google, Steve Yegge, publicou uma longa e dura critica ao Google+, nova rede social da empresa. Em seu texto, Yegge afirma que o Plus é uma invenção tardia e patética.

“O Google+ é um excelente exemplo de nosso fracasso completo em entender as plataformas a partir dos níveis mais altos de liderança executiva (oi Larry [Page], Sergey [Brin], Eric [Schmidt], Vic [Gundotra]) até os mais baixos”, escreveu ele.

“A Regra de Ouro das plataformas é que você coma sua própria ração. Ou você não come comida humana e oferece ração de cachorro para seus desenvolvedores. A Microsoft e o Facebook compreenderam essa regra há tempos”, escreveu o engenheiro em referência a ausência de uma API para desenvolvedores interessados em criar apps para o Google+.

O mais interessante é que o texto de 4500 palavras foi publicado no próprio Google+ e retirado depois. Inicialmente, Yegge pretendia compartilhá-lo apenas com seu círculo de contatos do Google. Porém, a mensagem vazou para todos os seus 6 900 seguidores, replicando por toda a web.

Ontem mesmo, Yegge usou a rede social para tentar se justificar. “Publiquei um longo texto opinativo sobre como eu acho que o Google poderia fazer um trabalho melhor se desenvolvesse suas ideias partindo da premissa de serviços em vez de se focar em produtos. Infelizmente, essa publicação era para ser interna, mas acabou vazando”, explicou ele. Curiosmente, o status de Yegge no Google+ diz: “Algum dia, meu pé não irá mais caber em minha boca”.

Também ontem, enquanto Yegge lavava a roupa suja em público, o ex-CEO e atual conselheiro do Google, Eric Schmidt, dava seus primeiros passos no Google+. Schmidt era, frequentemente, criticado por blogueiros especializados por não demonstrar apoio ao projeto da empresa.

Há três meses no ar, o Google+ mostra que possui capacidade para atrair usuários, porém, tem dificuldade em mantê-los fidelizados.

Eric Schmidt cria conta no Google+

by Danyel Willian | 18:08 in | comentários (0)



São Paulo - Mais de três meses após o lançamento do Google+, o ex-CEO e atual conselheiro do Google, Eric Schmidt, finalmente criou uma conta na plataforma.

Frequentemente, Schmidt era criticado por blogueiros especializados por não demonstrar apoio ao projeto da empresa.

Em seu primeiro post, o executivo compartilhou links com considerações suas sobre Steve Jobs (Schmidt participou do conselho da Apple até 2009, quando a disputa entre iOS e Android começou a se tornar acirrada demais).

Na sequência, ele compartilhou um artigo do The New York Times falando sobre a crise econômica e os avanços tecnológicos.

Em menos de um dia, cerca de 9200 pessoas passaram a segui-lo.

O uso da do Google+ por executivos do Google tem sido bastante tímido. De acordo com o Mashable, apenas o vice-presidente do Chrome, Sundar Pichai, e o vice-presidente de mídias sociais, Vic Gundotra, têm compartilhado conteúdo fora de seus círculos para todos seus seguidores.

No início da semana, um relatório da empresa Chitika Insights apontou que o número de acessos ao Google+ caiu 60% após a explosão provocada pela abertura da plataforma ao público geral.


A Microsoft mexeu no gerenciamento de memória do Windows e garante que vai ser possível rodar mais aplicações com menos RAM física.


Segundo o artigo mais recente do blog Criando o Windows 8, assinado por Bill Karagounis, gerente da equipe que cuida do desempenho, serão postos em ação alguns truques para reduzir o uso de memória. A ideia, diz ele, é deixar o Windows 8 leve o suficiente para rodar bem em máquinas como um netbook com processador Atom da primeira geração com 1 GB de RAM.

Karagounis explica que não se trata de reduzir o consumo de memória só para reduzi-lo. É que em dispositivos móveis (notebooks — ou tablets, que são o principal alvo do Windows 8), quanto mais memória instalada, maior o gasto de energia.

Para alcançar esse objetivo, foram feitas centenas de mudanças no sistema. O executivo cita algumas. A primeira é uma técnica chamada combinação de memória (memory combining). Ele explica que, quando um PC está rodando, muitas partes da memória têm o mesmo conteúdo. Essa redundância oferece uma oportunidade para reduzir o uso de memória, inclusive para serviços e componentes do sistema operacional.

Muitas vezes os programas carregam informações para a memória, reservando-as para uso futuro. No entanto, é possível que essas informações não sejam utilizadas, criando uma ocupação redundante e ociosa. Um exemplo disso pode ocorrer quando duas ou mais aplicações levam para a memória múltiplas cópias de um mesmo componente do sistema operacional. Aí entra a combinação de memória.

Trata-se de uma técnica com a qual o Windows identifica conteúdos duplicados e mantêm uma cópia única. Se de fato a aplicação solicitar o recurso, o Windows lhe dará uma cópia privada. “Tudo isso ocorre nos bastidores, no gerenciamento de memória, sem impacto sobre as aplicações”, escreve Karagounis. Segundo ele, esse procedimento pode liberar dezenas e até centenas de megabytes de memória, dependendo do número de aplicações rodando ao mesmo tempo.

Num exemplo mostrado no blog (veja telas abaixo), Karagounis compara o consumo de memória no Windows 7 e no Windows 8. A redução, no caso, é de 404 MB para 281 MB, ocupando e 5% dos recursos no sistema atual e apenas 1% no Windows 8.

Consumo de memória no Windows 7 (esq.) e no Windows 8: de 5% para 1%

O executivo descreve ainda outros truques para reduzir o consumo de memória. Um deles é a mudança no funcionamento de alguns serviços do sistema. Serviços, por definição, são aplicações que rodam continuamente. Karagounis diz que 13 serviços deixaram de ser iniciados junto com o sistema e poderão ser ativados de forma manual.

Além disso, outros deixarão a classe dos que rodam todo o tempo e entrarão no grupo dos serviços iniciados “on demand”. Haverá um gatilho para disparar a necessidade desses recursos. Pode ser, por exemplo, a conexão de um dispositivo ou a disponibilidade de um endereço de rede.

O Plug and Play e o Windows Update, no Windows 8, são serviços desse tipo, disparados por um gatilho. Nesse caso, o funcionamento é o seguinte:

1. O serviço se inicia.
2. Executa sua tarefa.
3. Mantém-se funcionando por algum tempo até verificar que não há mais o que fazer.
4. O serviço sai do ar.

Se esses ganhos no uso de memória forem realmente obtidos sem comprometer a performance nem gerar outros efeitos colaterais, será uma alteração muito bem-vinda para quem trabalha com o Windows.
*
A Microsoft está realmente inovando na divulgação do Windows 8. Gota a gota, a cada dois ou três dias, a empresa solta informações sobre novidades no sistema. O local de divulgação dessas notícias tem sido sempre o blog Criando o Windows 8.

Não tenho notícia de nenhum outro sistema comercial discutido com o público dessa maneira. O padrão até agora, inclusive para a própria Microsoft, foi sempre desenvolver o produto nos bastidores e depois apresentá-lo, pronto, aos usuários.



Brasília - A presidente Dilma Rousseff sancionou nesta terça-feira a concessão de incentivos fiscais para a produção de tablets no Brasil, informou a Casa Civil da Presidência da República. Os incentivos foram propostos pelo governo em medida provisória aprovada pelo Congresso.

A medida zera a alíquota de PIS/Pasep (Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público) e da Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) sobre os tablets --computadores de mão que possuem telas sensíveis ao toque-- feitos no país.

Segundo a Casa Civil, Dilma concordou com um veto do Ministério da Fazenda a artigo que previa a retroatividade da medida até 20 de maio.

Com a decisão, de acordo com a Fazenda, os incentivos só passam a valer a partir da publicação no Diário Oficial, o que deve ocorrer na quinta-feira.

Com o objetivo de incentivar a produção de tablets em território nacional, o Executivo enviou medida provisória depois da visita da presidente Dilma Rousseff à China no começo do ano.

Na ocasião, a Foxconn, fabricante terceirizada do iPad, da Apple, apresentou um plano de investimentos no país e pediu apoio do governo por meio de incentivos fiscais.

Além dos incentivos à produção dos tablets, o texto aprovado pelo Senado e sancionado por Dilma aumenta o prazo para que administradoras de Zonas de Processamento de Exportações (ZPEs) criadas a partir de 23 de julho de 2007 iniciem suas obras de implantação. O tempo permitido passa de 12 para 24 meses.

São Paulo – O CPqD, instituição com foco na inovação em TICs, anunciou que atualizará um índice que mostra o nível de digitalização dos municípios brasileiros.

Uma das novidades desta edição do Índice Brasil de Cidades Digitais é a possibilidade de cadastrar o município previamente. O formulário pode ser preenchido pela internet pelo gestor público ou o responsável pela área de TI da prefeitura.


O índice é uma criação da Momento Editorial em parceria com a Fundação CPqD. Além de mostrar o nível de digitalização das regiões avaliadas, o índice coleta dados de iniciativas digitais bem sucedidas e experiências que podem ser compartilhadas por outros municípios.

Há nove categorias que pontuam as 75 cidades: presença de equipamentos primários; acesso público à internet; cobertura geográfica; acessibilidade, usabilidade e inteligibilidade; banda; serviços públicos e privados; integração de serviços públicos; integração de comunidades e novo espaço público e integração de cidades, estados e países.

Todas as cidades que enviam os dados para o Índice Brasil de Cidades Digitais recebem um certificado de participação. As 10 primeiras colocadas participam de um evento e ganham um troféu. Veja o atual Índice Brasil de Cidades Digitais.

As 10 primeiras colocadas no atual índice são as cidades de Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Vitória (ES), Ibirapuitã (RS), Jundiaí (SP), Campinas (SP), Santos (SP), São Carlos (SP), Tarumã (SP), São Paulo (SP) e Tauá (CE).

 
 
São Paulo - Contrariando parte das expectativas de mercado, a Apple não anunciou mudanças de impacto no iPhone, mas apenas atualizações pontuais de hardware, como a troca do processador e da câmera embutida.

Com carcaça e design idênticos ao de seu antecessor, o iPhone 4S é a resposta da Apple ao avanço dos smartphones da concorrência, notadamente o Galaxy S II, da Samsung.

Para fazer frente aos novos smartphones com Android e a geração de aparelhos com Windows Phone que deve chegar ao mercado até o final deste ano, a Apple equipou seu novo iPhone 4S com chipset A5, de dois núcleos, o mesmo utilizado no iPad 2.


Tudo sobre a estreia do novo iPhone
Mesmo agora com processador de dois núcleos de 1 GHz, o aparelho mantém os 512 MB de RAM, de acordo com o site GSM Arena. Oficialmente, a Apple não divulga qual a memória RAM de sua linha de smartphones.
secunda
De imediato, a mudança para o chip A5 implica em uma qualidade maior no processamento de gráficos, permitindo que o iPhone continue competitivo no mercado mobile de games.


Durante o evento Let´s Talk iPhone, os engenheiros da Apple impressionaram a plateia ao demonstrar o uso do novo chip ao rodar um app que exibia sombras e luzes sobre a tela sensível ao toque do iPhone 4S.

Testamos o iOS5 e seus rivais 

O armazenamento de dados também ganhou uma nova opção. Além das versões de 16 e 32 GB, agora os consumidores podem escolher também a versão de 64 GB, que assume a liderança entre todos os smartphones em capacidade nativa de armazenamento. A antena do aparelho também foi redesenhada, finalmente resolvendo o problema da “pegada da morte” e as falhas no sinal, segundo a Apple.

Os problemas na antena do iPhone 4 foram alvo de duras críticas quando esta geração do iPhone chegou ao mercado, em 2010.

A câmera também evoluiu. Agora ela conta com 8 megapixels e abertura f/2.4, permitindo a gravação de vídeos em 1080p (full HD) e registro de imagens em 3.264 por 2.448 pixels. A câmera frontal para videochamadas permanece a mesma, bem como a tela de 3,5 polegadas e resolução de 960 por 640 pixels.

No item tamanho de tela, aliás, havia grande expectativa de que a Apple aumentasse um pouco o tamanho do iPhone, fazendo-o competir em melhor condição com o Galaxy S II, que possui tela mais ampla.

De acordo com as especificações divulgadas pela Apple, o novo iPhone suporta acesso às redes GSM e CDMA, o que na prática exclui seu uso nas redes mais avançadas 4G, como as de tecnologia LTE. A exemplo do iPhone 4, a rede mais avançada que o 4S suportará será no padrão HSDPA.

A diferefença de velocidade entre estas redes é muito grande. Uma rede LTE permite navegar a velocidades de até 100 Mbps. Já o padrão HSDPA suporta, no máximo 14,4 Mbps e é chamado de "3,5 G".

Outra novidade apresentada, foi o software Siri, um sistema de reconhecimento de voz para buscas inteligentes. A aplicação rodará no novo iOS5 e sairá de fábrica embarcada nos novos iPhones. A Apple, no entanto, não esclareceu se o Siri poderá ser executado nos iPhones 4 e iPads 2 com iOS 5.

Com o software, uma pesquisa de voz pelo termo “pizzaria em Copacabana”, por exemplo, exibiria os resultados de uma consulta na web sobre estabelecimentos deste tipo próximos ao local citado. A ideia é que o Siri transforme o aparelho em um “sabe tudo”, ajudando o usuário a encontrar o que deseja sem que ele tenha que digitar nada.

O aparelho será vendido (nos Estados Unidos) a partir do dia 14 de outubro por 199 (16 GB), 299 (32 GB) e 399 (64 GB) dólares e chega a 28 países já no dia 28 de outubro. O aparelho será comercializado em outros 70 países, entre eles possivelmente o Brasil, só em dezembro.



Londres - O "superpolicial" norte-americano Bill Bratton, em visita ao Reino Unido para assessorar o governo depois dos tumultos ocorridos alguns meses atrás, disse nesta terça-feira ser contrário à ideia de bloquear os serviços de mídia social em períodos de inquietação civil.

Policiais e políticos vêm alegando que os saqueadores e manifestantes coordenaram suas ações e utilizaram serviços como o Blackberry Messenger e o Twitter para incitar problemas, durante os distúrbios em larga escala que tomaram o Reino Unido em agosto.

O primeiro-ministro David Cameron declarou, então, que o governo poderia considerar um bloqueio dos serviços de redes sociais em caso de futuros distúrbios, e executivos do Twitter e da Research in Motion, que fabrica o BlackBerry, foram convocados pelo governo para discutir a questão, no mês passado.

No entanto, Bratton, antigo comissário de polícia em Nova York, Los Angeles e Boston, cidades em que ele comandou uma queda dramática no número de crimes de rua --o que lhe valeu o apelido de "superpolicial"--, rejeitou essa medida, afirmando que ela teria impacto negativo sobre as "boas pessoas."

"Temos o potencial de causar choque ainda mais crítico a toda a comunidade," disse ele a um comitê parlamentar britânico, mencionando suas experiências pessoais de esforço de contato com familiares depois dos ataques do 11 de setembro.

Ele afirmou que as redes sociais também ajudam as autoridades a alertar o público sobre os locais em que estão ocorrendo distúrbios, e que a própria polícia, muitas vezes, depende de serviços como o Blackberry Messenger.

"Não há como negar que, em termos de policiamento, estamos sempre tentando recuperar o atraso diante do impacto da tecnologia," disse ele.

Bratton vai se reunir com o primeiro-ministro David Cameron e com a secretária do Interior Theresa May durante visita ao Reino Unido, e participará de uma conferência para falar sobre sua experiência com a repressão à violência das gangues de Los Angeles.

Cameron atribuiu a responsabilidade por grande parte dos distúrbios de agosto --os piores registrados em décadas no Reino Unido-- à ação de gangues de rua.

 
 
São Paulo – O coletivo hacker Anonymous invadiu ontem (10) o site da bolsa de valores de Nova York (New York Stock Exchange, NYSE).

O ataque foi uma resposta de apoio aos milhares de ativistas americanos do movimento “Occupy Wall Street”, que estão acampados há quase um mês em uma praça próxima a região financeira de Wall Street.

O ataque não chegou a afetar as operações eletrônicas da bolsa, mas deixou o acesso ao site da NYSE bastante lento durante o final do dia.

A invasão veio como uma resposta às prisões de dezenas de manifestantes no último dia 1º de outubro. Os ativistas do movimento “Occupy Wall Street” pedem por uma mudança no sistema econômico dos Estados Unidos, que vem sofrendo sérios problemas financeiros.



SÃO PAULO - O  cofundador da Apple, Steve Jobs, morreu nesta quarta-feira, dia 5, na Califórnia.  A informação foi confirmada pela Apple que publicou uma homenagem a seu principal executivo no site Apple.com. Jobs tinha 56 anos.

Não há informação oficial sobre a razão da morte de Steve Jobs. Nas últimas semanas, no entanto, Jobs foi fotografado ao menos duas vezes com aparência muito debilitada. O executivo sofria de câncer e renunciou ao cargo de CEO da companhia há pouco mais de um mês.

Em breve comunicado no site oficial, a empresa que Jobs ajudou a criar diz que “a Apple perdeu um gênio criativo e visionário, e o mundo perdeu um ser-humano incrível. Aqueles que tiveram a sorte de trabalhar com Steve perderam um querido amigo e mentor. Steve deixou para trás uma companhia que só ele poderia ter construído e seu espírito será sempre a base da Apple".

Biografia - A trajetória de Steve Jobs, ex-CEO da empresa de tecnologia mais valiosa do mundo, teve origem na obsessão de sua mãe biológica em assegurar-lhe um curso superior, o que ele rejeitaria quando adulto.


Filho de uma jovem mãe solteira de San Francisco, Steve foi oferecido para adoção poucas semanas após nascer. Sua mãe queria que uma família de pessoas graduadas em universidade o adotassem. A primeira tentativa de adoção ocorreu quando a mãe de Jobs o ofereceu a um casal de advogados.

Após concordar com a adoção, o casal mudou de ideia ao receber Jobs. Segundo a mãe biológica de Jobs, os advogados argumentaram que, na verdade, prefeririam adotar uma menina. Então outro casal pediu a adoção de Jobs, que foi concedida por sua mãe biológica.

Paul e Clara Hagopian Jobs, os pais adotivos de Jobs, quase o perderam após a adoção pois, ao contrário do que informaram à mãe biológica do fundador da Apple, eles não eram graduados. Para manter o filho adotivo, o casal comprometeu-se a pagar-lhe uma faculdade em sua vida adulta. Quando completou 17 anos, Jobs entrou no Reed College, mas desistiu 18 meses depois.

Em famoso depoimento a formandos da Stanford University, Jobs explicou que não via sentido ao ver seus pais adotivos gastarem toda sua renda para pagar-lhe uma faculdade que ele considerava pouco útil a seus planos. Fora das aulas regulares, Jobs estudou caligrafia na Reed College, o que considerou fundamental para o sucesso da Apple. “Graças as aulas de caligrafia ganhei o conhecimento de design que fez toda a diferença na história da Apple”, conta Jobs em seu discurso em Stanford.

Em seu keynote na universidade americana, Jobs atribui o segredo de sua trajetória de sucesso a capacidade de “unir os pontos” entre os diferentes acontecimentos em sua vida, como valorizar o design e dedicar-se a algo que gosta. “Tive sorte de descobrir cedo o que eu amava na vida. Conheci Steve Wozniak e começamos uma empresa totalmente inovadora”, lembra.

Ao falar de sua paixão pela Apple, Jobs relembra que, mais uma vez, foi rejeitado. “Eu fui demitido de uma empresa que eu mesmo criei. Eu fui rejeitado, mas continuei apaixonado (pela Apple)”, conta. Fora da Apple, Jobs casou-se com sua atual esposa, Lorena, e fundou a Pixar e a NeXt, esta última uma empresa que acabaria comprada pela Apple em 1996 e asseguraria o retorno de Jobs à companhia. “Ser demitido foi a melhor coisa que me aconteceu.

Como um iniciante, vivi o período mais criativo de minha vida”, afirmou. Jobs diz ainda que após sua decepção com a saída da Apple só seguiu em frente por que era apaixonado pelo que fazia. “Você só consegue seguir em frente quando ama alguma coisa de verdade. Eu nunca perdi a fé”, disse. No mesmo discurso, Jobs fala sobre a perspectiva de morrer.

“Lembrar que você vai morrer faz você concentrar as atenções nas coisas realmente importantes”, anotou ao lembrar de quando foi informado que tinha um câncer no pâncreas, em 2004. “A morte é a melhor invenção da vida. Ela tira o que é velho do caminho e abre espaço para o novo”, afirma. Na conclusão de seu discurso, Jobs diz que não há razão para não seguir o que seu coração pede para ser feito.

Histórico de doenças - A morte de Steve Jobs hoje está longe de ser uma surpresa. Antes de renunciar ao cargo de CEO no dia 24 de agosto deste ano, ele já havia se afastado da empresa ao menos três vezes por licença médica.

Desde 2004 a saúde de Jobs é motivo de preocupação. Naquele ano, ele foi diagnosticado com um câncer no pâncreas e pediu afastamento. Embora tumores nesse órgão sejam muito agressivos, seu caso aparentemente era raro e muito menos grave. Após a cirurgia, ele não precisou realizar quimioterapia.

Durante sua primeira ausência, Tim Cook, então chefe de vendas globais da Apple, dirigiu a empresa. Em agosto de 2006, durante  a conferência anual de desenvolvedores da maçã, a aparência de Jobs chocou a todos, e sua magreza gerou boatos de reaparecimento do câncer. O problema, segundo a Apple, seriam alterações hormonais “naturais”.

Em 2008, após Jobs cancelar várias aparições públicas, a Bloomberg equivocadamente publicou um obituário do executivo e, no mesmo ano, a CNN cometeu um erro similar de informação e divulgou que Jobs estava internado após sofrer um ataque no coração.

Apesar das notícias sobre sua morte virarem motivo de piada pelo próprio executivo, no final daquele mesmo ano Steve Jobs anunciou seu segundo afastamento da direção da companhia.  Na época, os papéis da Apple recuaram mais de 10% na bolsa eletrônica Nasdaq.

Em abril de 2009, quando voltou a trabalhar, ele revelou ter sido submetido a um transplante de fígado. Durante o período, Tim Cook novamente assumiu o comando da empresa.
ddd
Quase dois anos depois, em janeiro de 2011, a Apple anunciou a terceira licença médica de Jobs, com Cook novamente assumindo as operações. A empresa, no entanto, ressaltou que seu principal executivo continuaria envolvido em grandes decisões estratégicas.

Mesmo afastado, Jobs esteve no lançamento do iPad 2 em março e no WWDC, em junho. Esta foi sua última aparição pública.

Ao longo de setembro, ao menos duas fotos divulgadas por sites de celebridades chocaram os admiradores de Jobs. Em ambas, ele aparecia extremamente magro e frágil. Houve questionamentos sobre a legitimidade das imagens.

Na noite desta quarta-feira, no entanto, a própria Apple confirmou o falecimento de Steve Jobs.



Veja abaixo o famoso vídeo em que Steve Jobs fala sobre sua vida, em Stanford, e sobre a possibilidade de morrer.








 Saudades Steve Jobs! O que temos hoje foi graças a você, nunca esqueceremos as coisas boas da vida.

Um grande abraço, Deus o proteja.



imagem


Produzir iPads no Brasil? Complicado, caro, demorado. Mas iPhones, por que não? De acordo com as fontes do Terra, a fábrica da Foxconn está fabricando iPhones a pleno vapor. As maçãzinhas estão basicamente prontas para serem entregues, como mostram essas fotos conseguidas com exclusividade. O mais interessante: eles são um novo modelo que, tudo indica, terá menor capacidade e será mais barato. É, amiguinhos.

Falta pouco para você ver um iPhone 4 made in Brazil a um preço razoável. Juntemos as peças. Desde o anúncio do Governo brasileiro que a Foxconn investiria bilhões no Brasil, só se fala praticamente em "fabricar iPads". Mas em algumas entrevistas, o ministro Aloízio Mercadante deixou claro que os primeiros produtos com a maçã a sair da fábrica da Foxconn em Jundiaí seriam iPhones e iPods.

Até porque a quantidade de adaptações necessárias para fabricá-los é bem menor. O que não deixa de ser um privilégio: esta é a primeira fábrica de iCoisas fora da China. Mercadante prometeu que os primeiros produtos da Apple seriam fabricados aqui "a partir de julho".




imagem


Pouco mais de um ano após anunciar o Galaxy Tab original  de 7?, a Samsung mostrou na última sexta o Galaxy Tab 7.0 Plus, nova versão do portátil movido a Android (agora com Honeycomb) que começa a ser vendido na Europa em outubro.

O Tab 7.0 Plus traz uma tela de 7 polegadas (resolução de 1024 x 600 pontos), tem apenas 9,96 milímetros de espessura e pesa 245 gramas. Roda Android 3.2 Honeycomb  e vem com processador de 1,2 GHz dual-core, 1GB(RAM), 16/32GB Memória interna, microSD (até 32GB), câmeras de 3 megapixels (traseira) e 2 megapixels (dianteira), compatível com Adobe Flash e DivX e inclui conectividade HSPA+ e Wi-Fi. Especificações completas aqui.

Eu gosto bastante do formato de 7?: cabe na mão, não é um trambolho widescreen como os demais tablets com Android (como o próprio Galaxy Tab e concor) e atende mais ao conceito de "companheiro digital" que complementa o notebook e o smartphone.

Nada de preço ainda, mas começa a ser vendido na Áustria e na Indonésia no final de outubro e com lançamento no resto do mundo, incluindo América Latina, na sequência.

imagem


imagem


imagem


imagem

Microsoft diz que Chrome é maligno

by Danyel Willian | 10:37 in | comentários (0)

imagem


Usuários do Chrome que também usam antivírus da Microsoft foram surpreendidos por um alerta, na última sexta-feira, apontando o navegador do Google como programa maligno que deveria ser eliminado imediatamente. A falha nos antivírus, que levou à identificação incorreta do browser, revoltou os fãs do Chrome.

Os antivírus indicaram que o browser do Google estava contaminado com o perigoso PWS:Win32/Zbot, um cavalo de Troia que rouba senhas, monitora a navegação do usuário na web e desativa programas de segurança. Os usuários tiveram o Chrome bloqueado e, em alguns casos, removido do computador.

A falha gerou discussões no fórum de suporte do Chrome, onde alguns usuários publicaram comentários irados contra a Microsoft. O problema afetou tanto o Microsoft Security Essentials, distribuído gratuitamente para uso pessoal, como o Forefront, usado em empresas. A falha apareceu depois de uma atualização no arquivo que contém as assinaturas usadas na detecção de programas nocivos.

Poucas horas depois, a Microsoft liberou uma atualização para esses antivírus que corrige o bug. A empresa também divulgou um comunicado em que pede desculpas aos usuários. Ela recomenda que quem foi afetado pela falha atualize o antivírus e, se necessário, reinstale o Chrome.

imagem



Embora cada um tenha sua franquia preferida, sempre rola discussão entre os fãs de PES e os fãs de FIFA. Hoje não estamos aqui para discutir qual é o melhor game, mas qual deles se sai melhor no quesito gráficos: o site  Computer & Videogames pegou fotos reais de grandes nomes do futebol e comparou-as com as versões digitais de ambos os games.

Entre os nomes escolhidos temos diversas figuras famosas como Peter Crouch, Carlitos Tevez e Wayne Rooney. Confira o vídeo comparativo abaixo:



Independente da sua preferência no quesito gameplay, que concordo com a maioria dos atletas como Messi, prefiro o fifa. Vamos concordar que na maioria dos casos o visual dos atletas em FIFA 12 está mais detalhado e fiel do que o de PES 2012.

Mas isso não quer necessariamente dizer que FIFA 12 é um jogo melhor do que PES 2012, certo?
Cada pessoa tem sua opinião, e como ja foi comprovado fifa tem sim o melhor game play.

por atilaaleixo, fonte: Computerandvideogames

imagem

Call of Duty: Modern Warfare 3 está quase a chegar a todas as lojas em todo o mundo, mas o seu processo de desenvovimento foi tudo menos fácil.

Para além das questões legais entre a Activision e os ex-fundadores do estúdio Infinity Ward, o próprio projeto em si é enorme e muito trabalhoso.

Quem o admite é Glen Schofield, co-fundador do estúdio Sledgehammer, que participou na produção de Modern Warfare 3.

Glen Schofield admite que a produção de Dead Space foi uma grande experiência no que toca a entregar um produto de topo. Lembro que Glen Schofield foi fundador e dono do estúdio Visceral Games, agora da Electronic Arts.

Glen Schofield comentou sobre a produção de Modern Warfare 3, "Mas existem dias em que pensas, 'Porra, isto é um monstro'. Existe um stress enorme. Não é algo incapacitante, mas o que mais me preocupa são as pessoas a dizer: 'Olha, uma pessoa conseguiu deitar abaixo o Call of Duty!' Isto assusta-me imenso".

Call of Duty: Modern Warfare 3 será lançado no dia 8 de novembro.

Apresentação!


Aproveite nosso conteúdo e informação. Possuímos um grande arsenal de vídeo-aulas administradas pelo nosso companheiro de equipe Danyel Willian, Assistente de TI, Bacharel em Sistema de Informação e certificação em ITIL FOUNDATION; e postagens para melhor prepará-lo para concursos que relacionem à área de TI.

Espero que gostem de nossas postagens e videoaulas, e que possam com nossas informações adquirir um grande desenvolvimento social e tecnológico nesta área tão requisitada atualmente no mercado de trabalho.

A Equipe Informática Inteligente agradece a preferência!


Tradutor

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Equipe Informática

Equipe Informática Inteligente

Proprietário e ADM Principal

Danyel Willian

Autora - Assessora de Comunicação Digital

Júlia Medici


Autor - Técnico e Professor em TI. Formação em Administração de Empresas

Felipe Aguiar

Autor - Engenheiro da Computação

Julius Cardoso


Outros Administradores

Danilo Alves

Flávio Santos





Mural de Recados

Seguidores

Parceiros/Concursos

Parceiros Aleatórios